Falar de Oshkosh e se esquecer dos warbirds é um pecado imperdoável, essas incríveis máquinas de guerra que ajudaram a libertar o mundo do julgo do nazismo tem sempre um lugar muito especial, e este ano 400 marcaram presença, vamos citar alguns deles.   

WW II, os Warbirds

Pela primeira vez em Oshkosh, o Fairey Firefly é impulsionado pelo Rolls Royce Griffon 74, V12 superalimentado, gerando 2.250hp e acionando uma hélice Rotol de quatro pás.

O Douglas A-1 Skyraider é equipado com um motor Wright R-3350 Duplex-Cyclone de 18 cilindros que, em algumas versões, alcançava 3.700hp. Com um robusto pacote de blindagem e fortemente armado, ele foi amplamente empregado com muito sucesso nas Guerras da Coreia e Vietnã onde era chamado de Sandy e participava em missões de ataque, apoio cerrado, escolta de helicópteros e resgate e salvamentos.

Bombardeiro clássico

O North American B-25 Mitchell, bombardeiro médio, é considerado um clássico da Segunda Guerra Mundial. Robusto, rápido, bem armado, extremamente confiável, foi empregado com sucesso na África e Europa.

O Boeing B-29 Superfortress era quase inatingível no teatro de operações do Pacífico.

Aqui voando em formação, o venerado North American P 51D Mustang, o Cadillac dos Céus, e o Vought F4U Corsai com suas asas de gaivota. Esse caça embarcado é muito manobrável, bem blindado, armado com seis metralhadoras 0.50 e impulsionado por um potente motor radial Pratt & Whitney XR 2800 Double Wasp de 18 cilindros, gerando 2.400hp. Essa mortífera dupla de respeito foi uma tormenta para os japoneses no teatro de operações do Pacífico.

Leia também: Oskosh 50 anos – Parte 3

Motor radial

O torpedeiro Grumman TBF Avenger é equipado com um motor radial Wright R-2600 Cyclone de 14 cilindros, produzindo 1.900hp. O avião teve papel de destaque na Batalha de Midway.

O elegante, majestoso e manobrável Spitfire MK IX, um dos grandes responsáveis pela vitória britânica na “Batalha de Inglaterra”.

O XP-82, o Mustang Duplo que não obteve o sucesso esperado, demonstrando que nem sempre o dobro do bom será ótimo.

Tigres voadores

Curtiss P-40 Warhawk. Esse avião teve um papel crucial com as forças aéreas aliadas em cinco grandes teatros da guerra: China, Mediterrâneo, Sudeste da Ásia, Sudoeste do Pacífico e na Europa Oriental. Aqui nas cores dos Tigres Voadores, que, usando as táticas corretas, foram os primeiros caças ocidentais a combater com sucesso os temíveis Zeros japoneses.

De Havilland DH 98 ,”Mosquito”, a maravilha de madeira. Esse fantástico e versátil avião, que foi construído em madeira compensada, tinha a destreza de um caça monomotor e desempenhava funções de Bombardeiro Leve, Caça Bombardeiro e Caça Noturno.

Leia ambém: Oshkosh 50 anos – Parte 2

Levando de tudo

O famoso e versátil C 47 (versão militar do DC3), impecavelmente restaurado. Este avião foi o “pau para toda obra” na Segunda Guerra, transportando suprimentos, tropas, lançando paraquedistas e até mulas.

Observem onde ficava o artilheiro de barriga no Boeing B-17 Flying Fortress

E, para ocupar o “escritório” dele, tinha que ter físico de jóquei e ficar nessa cômoda posição ginecológica.

Os North American T-6, o versátil e amado “T meia” em constante revoada.


Metalmoro 20

Parágrafo

(*) Rodolfo Luiz Aquino Hauck tem 40 anos de experiência na indústria automobilística e sempre esteve envolvido com competições automobilísticas desde 1976, quando iniciou no Kart, fazendo provas de Turismo e rally. Por seis anos, foi responsável pelo desenvolvimento e preparação de carros de endurance e rally de uma montadora. Trabalha atualmente também com fotografia.